top of page
Comunica (262 de 530).jpg
  • Rafaelle Becker

5 práticas para melhorar a experiência do colaborador

Atualizado: 14 de dez. de 2022

Há mais coisas entre a experiência do colaborador e a comunicação interna do que um e-mail



Começamos este artigo parafraseando a famosa fala de Shakespeare porque a comunicação para a experiência do colaborador é muito mais do que o envio de comunicados e atualizações sobre políticas internas. Do momento em que uma pessoa se candidata a uma vaga ao fim do ciclo corporativo - seja ele por aposentadoria ou saída mesmo - a comunicação interna é fator essencial para uma boa experiência, já que é por meio dela, também, que os colaboradores interagem e estabelecem relações entre si, e constroem e vivem diariamente a cultura da empresa.


O conceito vem da área de atendimento ao cliente. Nas empresas, é comum encontrar um setor dedicado ao "sucesso do cliente", no qual os profissionais buscam entender as percepções dos consumidores para melhorar o atendimento cada vez mais. Enquanto isso, o setor de comunicação interna muitas vezes ainda estabelece uma relação menos próxima com os colaboradores. Contudo, é preciso levar em conta que um cliente satisfeito vem de atendimentos incríveis, que só são possíveis com colaboradores também satisfeitos. Ou seja, a experiência do colaborador afeta diretamente nos resultados do negócio.


O tema já está no radar há um tempo, com a entrada da Geração Y no mercado de trabalho, que busca maior bem-estar emocional, e se intensificou, principalmente, durante a pandemia de covid-19 para todas as gerações. Segundo o Relatório de Tendências em Gestão de Pessoas 2022 da Great Place to Work, empresas que não dirigirem esforços para melhorar o ambiente de trabalho oferecendo boas experiências aos colaboradores poderão perder espaço no mercado. Essa é uma percepção global para os profissionais de RH: para o próximo ano, a experiência do colaborador é uma das prioridades para 47% dos líderes entrevistados pela Gartner na pesquisa anual de Tendências de RH. Outro estudo, realizado pela Robert Half, demonstrou que o principal desafio em 2023 para 80% das empresas é a retenção de talentos. Ou seja, cada vez mais, a experiência do colaborador precisa ser um ponto com bastante atenção nas organizações.


5 práticas para transformar a experiência do colaborador

Na missão de transformar os ambientes de trabalho, listamos cinco práticas que têm o potencial de melhorar a experiência do colaborador. Veja a seguir:


Metodologias de pesquisa frequente


Só é possível melhorar sabendo os pontos de atenção, certo? E se o conceito de employee experience vem do customer experience, vale também trazer para dentro das organizações, e portanto para a experiência dos colaboradores, algumas das metodologias utilizadas para estabelecer uma conexão mais próxima com os clientes. Uma delas é o NPS (Net Promoter Score), que mede a satisfação e fidelização dos consumidores. Sabe quando você realiza uma compra e recebe uma pesquisa rápida que busca saber se você indicaria essa empresa para um conhecido? Esse é o NPS.


Trazendo para a relação com os colaboradores, temos o e-NPS (Employee Net Promoter Score). Essa é uma pesquisa realizada de forma anônima, e permite ao colaborador expressar sua opinião sobre o ambiente de trabalho e ações realizadas pelas áreas de RH e CI.


Ações a partir de dados


Já faz um tempo que os dados têm sido protagonistas na transformação dos ambientes de trabalho, seja para prever problemas futuros, ou para alcançar melhores resultados financeiros. Na relação com os colaboradores, não pode ser diferente: os dados guiam de forma assertiva. Uma pesquisa mostrou que 60% das empresas de alto desempenho em todo o mundo tomam decisões baseadas em dados de mercado, benchmarking e dos clientes.


Em setembro, conversamos com a Gabriela Teixeira, do Banco Mercantil, sobre como os dados impactam a comunicação interna. Para ela, os dados são importantes quando são transformados em informações, já que um dado isolado não informa sobre o cenário. É preciso que se torne uma informação, para então poder conhecer mais dos problemas, das situações e das pessoas da organização. É daí que resulta a "inteligência" para resolver os problemas com o conhecimento adquirido. Portanto, mais do que ter dados, é preciso métodos eficazes de analisá-los para os explorar da melhor forma.


Quer ver mais dessa conversa? Confira o webinar na íntegra:



Mapa da jornada e momentos que importam


Como falamos acima, a jornada do colaborador se inicia no momento em que tem o primeiro contato com a empresa e só termina com o offboarding - seja por aposentadoria ou saída do colaborador.


Há diversas formas de uma pessoa ter um primeiro contato com a empresa. Ela pode conhecer por meio das redes sociais, notícias, sites de recrutamento, mas, o mais importante: por meio dos colaboradores atuais. Reinaldo Dias, estudioso da Comunicação Organizacional, explica que as organizações são organismos vivos que influenciam e são influenciadas pelas pessoas que interagem com elas. Ou seja, da mesma forma que impactam o dia a dia dos colaboradores, estes também impactam a rotina e a reputação da empresa.


Colaboradores com experiências positivas influenciam positivamente na imagem da empresa, falando de sua vivência para outras pessoas, que podem vir a ser novos talentos atraídos. Mapear a jornada dos colaboradores é uma forma de estabelecer uma conexão mais próxima com eles. Seja fazendo uma pesquisa de satisfação no primeiro mês de trabalho, seja enviando mensagens em dias especiais, além de, é claro, uma rotina com informações relevantes para a realização do trabalho e momentos de descontração e reconhecimento.


Plano de carreira como chamariz


De acordo com o relatório de Tendências de RH para 2023, realizado pela Gartner, ter um plano de carreira é fator essencial para a retenção de talentos, já que a estabilidade é tão buscada pelos profissionais em meio ao cenário atual de incertezas econômicas, políticas e até de saúde ao redor do mundo. Essa mesma pesquisa revelou que apenas um em cada quatro colaboradores tem confiança em sua carreira na organização em que trabalha, e três em cada quatro pessoas que procuram uma nova função estão interessadas em cargos externos.


Empresas que possuem planos de desenvolvimento individual e de progressão de carreira são as mais cotadas pelos talentos em busca de oportunidades profissionais. Esses profissionais, consequentemente, se tornam mais engajados em suas posições, já que buscam sempre evoluir para concluir o plano.


A comunicação interna, aqui, tem o importante papel de deixar claro aos colaboradores como a progressão de carreira acontece e, claro, se comunicar com esses colaboradores nos momentos importantes da carreira com reconhecimentos.


Com o comunica.in, é possível mapear toda a jornada do colaborador e estabelecer pontos de contato mais próximos com eles, enviando informações de forma personalizada e segmentada, além de possuir diferentes templates de pesquisas para analisar, com frequência, como está sendo a experiência de cada um.


bottom of page